quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

PARCERIAS PARA O SUCESSO

Durante esses 6 meses de existência consegui obter resultados que considero expressivos visto que estou trabalhando sozinho, porém chegou o momento de formar parcerias e estou em busca de pessoas que estejam a fim de desenvolver, artigos, planilhas, e-books, apresentações, vídeos e fomentar esse blog com conteúdo de qualidade, tanto com ou sem fins lucrativos.
Atualmente o blog tem uma média diária de 110 visitantes e tenho a expectativa de chegar a 600 acessos diários em 4 meses e a 1.000 acessos dentro de 1 ano. Todo o planejamento estratégico será baseado no Business Model Canvas.
A partir de janeiro todo o conteúdo passará por revisão de ortografia e gramática, visando manter um padrão de qualidade elevando na escrita e produção de texto, assim como suporte para escritores e também para desenvolvedores de conteúdo.

Caso queria fazer parte dessa equipe basta entrar em contato pelo e-mail: treinamentoskairos@gmail.com e solicitar mais informações sobre esse projeto, não perca essa oportunidade, é a chance de ganhar a visibilidade tão desejada ou até mesmo complementar a sua renda.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

5 BARREIRAS QUE ATRAPALHAM PROCESSOS SELETIVOS

Autor: Addae do Carmo

Com o crescimento e desenvolvimento da tecnologia é possível observar a crescente onda buscando por processos automatizados e informatizados, onde tem se buscado diminuir cada vez mais a presença do fator humano e não é diferente no setor de Recrutamento e Seleção. Adeline Adriele da Info Online recentemente elucidou que: “Em uma época em que todos os processos de recrutamento nas empresas são praticamente automatizados, a tecnologia é uma das formas mais eficientes usadas para que as empresas possam ter um banco de dados de candidatos talentosos para novas contratações. Currículos em papel são substituídos por formulários personalizados para cada vaga e recrutadores podem avaliar os profissionais remotamente por meio de avaliações e questionários online.”. Esses modelos de formulários digitais tem se tornado cada vez mais comuns, passando a ser utilizados por cada vez mais pessoas.
No seu artigo Adeline trata sobre 5 barreiras que atrapalham processos seletivos, iremos tratar de cada uma e levantar novas questões relevantes ao tema.

1. Falha na captação de candidatos interessados

Segundo Adeline “Nem todo candidato tem tempo de se inscrever no processo seletivo logo na primeira vez que fica sabendo de uma oportunidade. Segundo a pesquisa conduzido pela Harris Poll a pedido do CareerBuilder. Durante as pesquisas, foram entrevistados 374 profissionais de RH e 319 candidatos entre os meses de junho e julho de 2014, 39% dos entrevistados acham importante que os recrutadores ofereçam a possibilidade de o candidato deixar suas informações de contato para se inscrever depois.
Ao observar tais dados seria importante refletir sobre a eficiência das formas de contato entre empresas e candidatos. A tecnologia deveria facilitar essa comunicação e não dificulta-la, criamos cadastros cada vez mais complexo e isso diminui o interesse de muitos candidatos, principalmente dos que tem menos tempo. Às vezes menos é mais.

2. Deixar de manter relacionamento com os candidatos

Adeline diz que, “Outro desafio enfrentado pelos recrutadores é manter contato com os candidatos que não foram contratados para uma vaga, mas que têm perfil para futuras oportunidades. Apesar de 42% dos candidatos afirmarem que gostariam de receber e-mails com novas oportunidades nas companhias, apenas 38% deles afirmaram que voltam a falar com esses profissionais a cada seis meses ou com mais frequência.”.
Entrar em contato com pessoas que foram entrevistadas anteriormente pode ser muito útil, visto que por essas pessoas terem já passado por um processo seletivo pode ser um fator positivo e que pode trazer agilidade ao processo e também torna possível um aprofundamento em questões que não foram abordadas anteriormente.

3. Respostas Automáticas

“Embora o recurso para criar respostas automáticas seja muito útil para manter os candidatos atualizados sobre um processo seletivo, muitos profissionais sentem que esse tipo de abordagem não é o suficiente. De acordo com a pesquisa, 62% dos candidatos afirmaram que esperam receber comunicados mais personalizados, enquanto 67% dizem que esperam telefonemas dos recrutadores depois de se apresentarem para a vaga.” Apresenta Adeline.
Os candidatos antes de qualquer coisa são pessoas e esse fator faz toda a diferença, não é errado usar a tecnologia no processo, mas é indispensável um tratamento mais próximo e humano.

4. Limitar as inscrições ao computador

“Com a evolução contínua nas tecnologias móveis, muitos profissionais esperam poder se candidatar a uma vaga diretamente por seus smartphones. Porém, 46% dos recrutadores entrevistados não oferecem a opção de acessar seus formulários de inscrição em um dispositivo móvel devido à falta de recursos ou questões técnicas.
Os computador estão perdendo espaço e a tecnologia do momento são os tablets e smartphones e se eles não conseguirem acessar com toda certeza irão para outro site que consigam navegar e se cadastrar por dispositivos móveis.

5. Formulários de inscrição complexos e longos

Conforme Adeline “Ter um processo seletivo complexo pode significar um melhor filtro na hora de escolher um candidato mais capacitado para a vaga. No entanto, até mesmo os profissionais mais talentosos podem não ter disposição para preencher formulários de inscrição com várias páginas.”, o fato de um formulário ser grande e completo não garante que seja eficiente.
Às vezes um cadastramento mais enxuto pode garantir melhores resultados e um maior número de candidatos, tem pergunta que podem ser deixadas para uma fase posterior na avaliação do candidato.

Aproveite dessas dicas e veja se algum desses problemas está acontecendo na hora de captar currículos para a sua empresa.

Leu? Gostou? Compartilhe!


REFERÊNCIAS.

Adeline Adriele. 5 barreiras tecnológicas que atrapalham processos seletivos. Disponível em <http://info.abril.com.br/noticias/carreira/2014/10/5-barreiras-tecnologicas-que-atrapalham-candidatos-na-busca-de-emprego.shtml?utm_campaign=home-dell&utm_medium=square-dell&utm_source=square-dell>. Acesso em 17 dez 2014.


sábado, 13 de dezembro de 2014

EQUILÍBRIO ENTRE VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL


Manter vida pessoal e trabalho é quase impossível em alguns casos e isso realmente pode ser notado em varias pessoas, mas apesar de ser muito difícil quero dizer que é possível e pode ser feito sim.

Quando analisamos o padrão de vida moderno podemos observar que a tendência para o individuo é assumir mais responsabilidade, se preparar cada vez mais busca cada vez chegar a um patamar mais alto e nessa corrida tendem a deixar de lado sua família sua vida pessoal, social e também sentimental. Isso é extremante perigoso, pois passamos a viver em prol das coisas e não das pessoas e de nós mesmos.
O sucesso funciona como uma droga e faz como que quem o tenha queira cada vez mais, porém qual o limite nessa caminhada é preciso ter a consciência de que o sucesso é bom, mas não é tudo. Se você não consegue viver com qualidade não adianta ter sucesso profissional.
Não quero que você mude, mas quero que pense sobre a qualidade da vida que está levando. Não deixe de praticar esportes, de ir à igreja, de separar tempo para família esposa e filhos ou pai e mãe. Perdemos muito por não alimentarmos nossos relacionamentos e não vivemos sem eles, somos seres relacionais e fomos criados para nos relacionar e viver em sociedade, por esse motivo é de suma importância que tenhamos relacionamentos de qualidade.
Não basta tirarmos um tempo para nossa vida pessoal se ficamos o tempo todo ligados no celular ou tablete respondendo a e-mails e a solicitações do trabalho, ligando para clientes e resolvendo problemas. Não basta tirar tempo é preciso separar tempo de qualidade e esse tempo de qualidade que pode fazer toda a diferença na sua vida.
Se você não está aproveitando seu tempo como qualidade, comece hoje afinal seu tempo é limitado e uma hora ele chegará ao fim.


Leu? Gostou? Compartilhe!


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

ESTABELECENDO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

Autor: Addae do Carmo

Todo o processo dentro de uma organização somente depende de uma variável que é influenciar pessoas para alcançar algum resultado ou meta. Por esse motivo é de extrema importância ter a consciência que todo o processo empresarial se baseia em influenciar pessoas para se alcançar resultados.
Por isso um dos princípios para fazer com que a organização cresça é entender pessoas e nesse processo o primordial não é tentar empurrar um produto, mais simplesmente é preciso observação e ter a ciências das necessidades e expectativas das pessoas que dependem ou que consomem os seus produtos e serviços.
Se as pessoas buscam agora a criação de valor é preciso saber como criar valor para elas, hoje não é somente ter que vender o produto e pronto. Não! É hora sentar e dedicar tempo para entender o comportamento dos seus consumidores e clientes, muitas expectativas não serão descobertas de forma tão rápida, por esse motivo é preciso ter a visão de que as vezes será necessário gastar mais tempo e se esforçar mais para realmente dizer que conseguiu ajudar um cliente.
O que estou querendo mostrar não é o mais fácil, mas com certeza é possível obter retorno muito maior se você conseguir entender o que seu cliente quer. Não ache que é ineficiente e sem sentido que é esforço e tempo perdido, porque não é.
O fato de se convencer alguém mais muito além de apenas ofertar um produto, primeiro de se oferecer qualquer produto é necessário criar um vinculo um relacionamento e buscar entender o que essa pessoas quer e mais com esse relacionamento estabelecido é possível criar constância e através disso fidelizar clientes.


Leu? Gostou? Compartilhe!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

7 DICAS PARA EMPREENDER EM REDES SOCIAIS

Autor: Addae do Carmo

Para começarmos não podemos nos esquecer de que somos seres sociais e que necessitamos de nos relacionar para podermos nos desenvolver e alcançar maturidade e nesse contexto temos as redes sociais, como uma ferramenta de interligação, onde existe a possibilidade de nos ligamos a outras pessoas de forma rápida e dinâmica e ao mesmo tempo explorarmos sentimentos e emoções. Porém também é possível utilizar-se dessa ferramenta para fins comerciais, o que não sabemos é como usar essa ferramenta para fins comerciais.
Esse artigo tem como objetivo, abordar alguns pontos que são de extrema relevância para quem quer começar a empreender no ambiente virtual e quer estabelecer um relacionamento duradouro com seu publico virtual.
Algumas dicas são de extrema importância então anote e aplique o mais rápido possível:

1° Venda sem vender: as pessoas procuram redes sociais não para comprar, mas para se relacionar, por isso não divulgue e sim agregue valor ao cliente, faça anúncios emocionais e não racionais. Explore emoções e sentimentos.

2° Dê dicas: ninguém frequenta uma pagina somente para ver anúncios, de dicas a seus clientes para que eles frequentem sua página com constância. Por exemplo: se você trabalha com tecnologia de dicas sobre como usar, ou até mesmo aplicativos e programas úteis.

3° Responda as perguntas rapidamente: o público virtual é impaciente, por isso responda perguntas e solicitações o mais rápido possível. No inicio pode não haver perguntas, mas logo elas começarão a surgir, esteja preparado para elas.

4° Separe o pessoal do profissional: uma coisa é usa página pessoal outra a profissional, não misture o que você desenvolve no trabalho com seus post pessoais, crie uma página para trabalho e outra para sua vida pessoal. Mesmo que achar muito interessante somente compartilhe se tiver relevância para o seu publico e não somente para você.

5° Tenha foco: saiba qual público quer atingir e foque nele, ninguém consegue atingir a todas as pessoas por mais que tenha um bom conteúdo.

6° Invista em publicidade: investir em propaganda é o ideal para se alcançar retorno em menor tempo, existem varias alternativas e pode ter a certeza que elas funcionam, porém tenha em mente o seu público-alvo antes de anunciar e pesquise sobre a ferramenta que for utilizar para não ter futuras dores de cabeça.

7° Inove: as pessoas buscam coisas novas todos os dias e se você for inovador o suficiente para atrair a sua atenção pode ter a certeza que o sucesso logo virá.

Essa são apenas algumas recomendações que pode potencializar o resultado no meio digital, espero que você aproveite dessas dicas e que consigam retorno com elas, se gostou deixe seu comentário e como esse artigo pode ti ajudar.


Leu? Gostou? Compartilhe!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

NÃO SEJA UM GESTOR QUADRADO

Autor: Addae do Carmo

Ultimamente tenho convido com um número maior de gestores e tenho tido uma experiência, que muitas pessoas também já tiveram e que com certeza está me incomodando muito, que é o fato de resistência a mudanças.


Quando alguém assume um cargo de liderança sempre tem em mente que chegou a sua hora de fazer a diferença de mudar o mundo a seu redor, mas ao ouvir que um erro pode custar caro essa proatividade e esse dinamismo desaparece instantaneamente, pois temem essa repreensão e de perderem a tão sonhada vaga. No entanto na maioria das vezes se acomodam em uma cultura organizacional deficitária e sequer tentar fazer a diferença no ambiente que estão e preferem deixar de lado seu conhecimento e experiência em troca da estabilidade, porém se já sabemos que empresas que não inovam estão fadadas ao fracasso em médio e longo prazo é fato que suas carreiras também estão com dias contados.
Só que tem pessoas que criam negócios do zero, constroem empresas que tem tudo para ter sucesso e não conseguem sair do lugar, pois trazem uma bagagem de experiências passadas negativas e se apegam a elas de tal forma que preferem continuar presas a que já conhecem. O sucesso depende de experiência, mas não depende de se prender a uma ideia e achar que essa ideia é fixa e imutável e que não se deve mexer no que acha que é certo.
Vamos fazer uma reflexão. O que achamos ser “certo”, será que é realmente certo? E se for feito de outra maneira? Bom... Se pode ser feito de outra maneira será que também não pode ser melhorado ou ser inovador? Por que nos prendemos a modelos que nos ditaram como certo para que pudéssemos seguir como se fosse a ultima palavra em gestão e gerenciamento.
Se desprenda de modelo pré-fixados de modelos que são rígidos e fixos que foram pre-ditados por terceiros como sendo a ultima palavra. Nada é definido ou é fixo, o ambiente organizacional é mutável e constantemente muda, se transforma, evolui ou até mesmo regride dependendo de como for gerido. O que é realmente necessário para os gestores é ser flexível, dinâmico, saber que tem que gerar resultados, mas também saber que os métodos que usa hoje para alcança-los pode não funcionar tão bem amanhã, visto que as pessoas são seres que mudam constantemente e seus gostos também mudam.

Se você é gestor ou se almeja esse cargo, não seja mais um preso a modelos fixos que estão morrendo, pare de se acha o dono da verdade e reaprenda todo dia, não é um diploma ou um título que fará com que você tenha sucesso.

Leu? Gostou? Compartilhe e confira nossos anunciantes!

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

6 ATITUDES PARA CONSTRUIR EQUIPES VENCEDORAS

Se o objetivo final de qualquer empresa é obter resultados e os resultados são obtidos por pessoas, o maior acerto de todos os gestores com certeza é montar equipes de engajadas com o sucesso e dispostas a correr atrás do sucesso. Reunir pessoas que tenham como o objetivo alcançar resultados pode ser uma árdua tarefa e manter essas pessoas na equipe também.
Nessa caminhada o gestor pode instigar seus colaboradores a desenvolver certas características que podem fazer toda a diferença entre o sucesso e o fracasso, entre o grupo e a verdadeira equipe.
1° Reconheça qualidades: as pessoas que compõem sua equipe têm varias qualidade, porém passamos a conviver com as pessoas passamos a evidenciar os defeitos e damos mais valor aos erros do que aos acertos. Cuidado! Sua equipe possui qualidade não se esqueça.
2° Seja ético: ética é muito mais que apenas fazer o certo, quando bem estrutura e alinhavada ela determinará a forma como administrará seus negócios e sua equipe tem a percepção muito apurada sobre sua forma de gestão, gerencie eticamente.
3° Divida responsabilidades: divida o trabalho de forma a pulverizar o poder e as responsabilidades, com a equipe envolvida e engajada de forma estratégica é possível conseguir um melhor aproveitamento das características pessoais.
4° Inspire a criatividade: uma equipe criativa tem a encontrar solução para problemas a todo tempo, tem ideias inovadoras e trazer competitividade a organização. Abra espaço para a criatividade.
5° Incentive o companheirismo: não tem como obter resultados extraordinários sem companheirismo, já dizia o antigo ditado, “ninguém é uma ilha”. Se tem que ir em algum lugar não vá sozinho, somos seres relacionais e necessitamos de relacionamento para viver um estado emocional maduro.
6° Crie desafios: pare de dar metas e propósitos medíocres para sua equipe, desafie e leve a outro nível. Instigue a equipe a alcançar o inimaginável.

Não fique preso a paradigmas e dogmas que ditam regras de como deve ser uma equipe, inove e tenha em mente que o sucesso é uma atitude.

Leu? Gostou? Compartilhe e confira nossos anunciantes!


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

8 ATITUDES EMPREENDEDORAS DE SUCESSO





Autor: Addae do Carmo

Com certa frequência buscamos refletir como alcançar sucesso e para abrir essa semana resolvi trazer atitudes que são essenciais para que possamos alcançar o sucesso.


1° Determinação: Acredite que você consegue não deixe os problemas e lutas do dia a dia ti abaterem, você faz o seu sucesso e um dia irá alcançar todas as suas metas caso se empenhe para alcança-las.

2° Foco: Saiba o que quer fazer e siga em frente não se desvie do seu alvo, se começar a fazer muitos planos e querer fazer tudo de uma vez não fará nada. Não significa que não possa fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo, mas veja e mantenha o foco na sua meta.

3° Seja Flexível: Às vezes precisamos mudar então não se prenda a estruturas rígidas, pois isso torna o processo de mudança mais difícil. Tenha em mente que você deve se adapta a mudança em um ambiente de extrema incerteza, nunca se esqueça.

4° Produza qualidade: se você algo e quer muito, não faça somente por fazer, dê o seu melhor e faça com amor e paixão. Tenha a certeza que esta fazendo o melhor possível e caso não esteja reveja suas atitudes.

5° Estabeleça benchmarks: crie padrões de avaliação, pois não é possível saber se está ou não tendo sucesso se não estabelecer padrões que deseja alcançar. Toda produção deve ter pontos de referencia bem estabelecidos, pois somente dessa forma é possível definir se os resultados são bons ou ruins.

6° Acredite no sucesso: grande parte do sucesso não vem do trabalho e sim que acreditar que você pode. Acredite no seu potencial e siga sempre em frente.

7° Tenha atitude: Assim como acreditar, a atitude também tem um papel crucial e de muita importância, pois sem atitudes tudo o que temos são ideias e planos. Então não se esqueça de agir de forma assertiva, eficiente e proativa.

8° Seja proativo: o empreendedor de sucesso sabe que não chegaria a lugar nenhum sem a proatividade e que não é possível conseguir nada sem essa característica, portanto ser proativo é a base de tudo.


Com essa atitudes em prática pode ter a certeza que um hora ou outra o sucesso virá. Não é por que não notou o resultado na mesma hora que tem que desistir, insista e tenha paciência, pois nada da vida é rápido e instantâneo. Lembre-se até mesmo o “Miojo” você tem que esperar 3 minutos.


Leu? Gostou? Compartilhe e confira nossos anúncios!

domingo, 7 de dezembro de 2014

O SUCESSO É UMA ATITUDE

Autor: Addae do Carmo

A facilidade que temos de fazer algumas coisas é eminente e nessa coisas que conhecemos dominamos e sabemos lidar bem, tendemos a ser mais esforçado e a ficar mais a vontade, só que não é tudo tão fácil assim. Certas coisas não são tão fáceis ou tão agradáveis e essas coisas tentamos evitar, fugir delas.
O comportamento de fulga é muito comum e usamos ele quando não estamos a vontade, porém não é possível sempre termos o domínio da situação e nem ao menos fazer somente o que sabemos fazer, mas creio que é hora de deixar de lado esse comportamento negativo em prol de alcançarmos o sucesso.
Por que ficarmos presos a padrões pré-estabelecidos e fixados que não vamos conseguir, se tudo que temos que fazer é tentar, tentar, tentar e tentar. Cabe a nós aproveitar cada segundo e viver cada momento da melhor forma possível. O sucesso depende do seu empenho e das suas atitudes exclusivamente, para de jogar a culpa do fracasso em outras pessoas ou nas circunstâncias e faça o possível para mudar a situação que você considera desconfortável e que tanto ti incomoda.
Hoje pode ser um dia de decisões, comece a mudar a sua história e caminhe rumo ao sucesso, com atitudes de sucesso, nesse domingo não fique esperando a segunda-feira chegar para dizer que está tudo chato e igual. Faça a diferença na sua vida em suas atitudes, em seus gestos e através dos seus gestos.
A melhor maneira de se chegar a algum lugar é tentando se você diz que não consegue já fracassou. As suas palavras tem poder e podem fazer com que muita coisa aconteça, a própria Biblia diz que a língua é um pequeno órgão eu tem a capacidade de incendiar grandes florestas e esse poder está hoje em suas mãos, começe a definir o seu futuro com suas palavras e ações comece fazer o que está a seu alcance e o que conseguir, logo estará fazendo o impossível, dizia o poeta.


Leu? Gostou? Compartilhe e confira nossos anúncios!

sábado, 6 de dezembro de 2014

HORA EXTRA É COISA DO PASSADO?




Autor: Addae do Carmo



O maior terror da maioria dos colaboradores brasileiro, por incrível que pareça não é a demissão e sim a hora extra. Parece que quando se fala de hora extra um monstro aparece do nada e tenta engolir a cabeça de todos, o silêncio surge e o medo toma conta do ambiente, um clima de velório, ou melhor de derrota da seleção toma conta de todos.
Temos tanto receio de trabalharmos cinco minutos a mais que arrumamos as mais diversas desculpas para evitar “tal mal”, se saímos as 17:00 as 16:59 estamos como o pé no portão de saída para não ter o risco de ninguém nos chamar de volta, mas será que realmente estamos evitando a hora extra. Bom. Acredito que não.
Vamos partir da premissa que antigamente o trabalho era em sua maioria manual e que para se efetuar um trabalho era necessário que o trabalhador tivesse em mãos as ferramentas e o ambiente para poder executar uma tarefa. Portanto desse ponto de vista, podemos dizer que era impossível ele executar um trabalho fora do ambiente de trabalho e então pode se dizer que o período além da jornada de trabalho poderia ser considerado hora extra. No entanto esse mesmo conceito pode ser aplicado nos dias de hoje?
Vamos analisar as atuais formas de trabalho. Hoje o trabalhador é um trabalhador do conhecimento, onde as suas ferramentas de trabalho não são mais físicas, mas intelectuais, ele não depende mais de um local para se trabalhar, mas pode trabalhar a todo tempo e toda hora, se estamos em casa e temos uma ideia de algo que ira beneficiar o nosso trabalho podemos dizer que estamos trabalhando e não existe uma forma de gerenciar essa hora extra, ou por acaso você vai cobrar hora extra por cada ideia que você tem fora do trabalho.

Nas organizações atuais o individuo de envolve de uma forma tão abrangente que pode se dizer que ele está o tempo todo trabalhando e não tem como se evitar isso. Lógico que tudo deve ter um equilíbrio e que não podemos nos prender totalmente ao trabalho o tempo todo, mas é de extrema necessidade pensarmos somos trabalhadores do conhecimento e que a todo tempo trabalhamos. O mais importante então não é tentar controlar os minutos que passamos a fazer uma atividade para acabar o mais rápido possível, mas termos uma vida equilibrada, onde ponderamos o que é mais importante em cada momento.

Deixe nos comentário se acha que hora extra é coisa do passado ou não.

Leu? Gostou? Compartilhe e confira nossos anúncios!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

7 MANEIRAS DE MOTIVAR OU DESMOTIVAR SEUS COLABORADORES

Não tem nada pior que a falta de companheirismo e de comprometimento e em nenhum tipo de ambiente esse comportamento é aceito com bom grado. No entanto mesmo assim esse é um dos maiores motivos de reclamação e até mesmo de demissão, porém creio que antes de medidas extremas é preciso compreender o que causa essa insatisfação. Preparei uma lista com alguns motivos mais comuns e se não empresa é assim, cuidado! Você pode estar criando um mostro! Depois não adianta reclamar.
A falta de comprometimento não acontece repentinamente é como um processo, é construída diariamente através de gestos e atitudes de todos. Ninguém deixa de ser comprometido da noite para o dia e ninguém deixa o companheirismo atoa. Vamos lá!

1° Insatisfação com o ambiente: as condições de trabalho dizem muito a respeito do comprometimento do colaborador. Ambientes muito quentes, abafados, falta de equipamento ou equipamentos inadequados, cadeiras desconfortáveis (para quem trabalha muitas horas ao computador ou sentado), muitas horas em pé sem descanso. Isso é ruim, ninguém quer ficar nessa situação, o trabalho é grande parte de nossas vidas e viver e condições degradantes, é com certeza desmotivador. Analise o ambiente com cuidado e tende identificar, pontos que PRECISAM ser melhorados.

2° Recursos compartilhados: é irritante ter que dividir recursos, ainda mais porque se outra pessoa estiver usando você não conseguirá fazer o seu trabalho até a outra terminar, companheirismo é legal, mas compartilhar os recursos, muitas vezes gera intriga e divisão na equipe, podendo até ser motivo de brigas. Tente minimizar ao máximo a divisão de recurso, é bom que cada colaborador tenha as suas ferramentas de trabalhos.

3° Críticas injustas: quando se é criticado sem ter um motivo aparente, torna perceptível que o que é valorizado não é o trabalho em si, mas a aparência, ou que a pessoa não sabe julgar de forma justa e se utiliza de achismo para criticar. As empresas não precisam de críticos precisam de aconselhadores e solucionadores, só criticar não resolve o que realmente resolve é pensar em uma solução.

4° Burocracia em excesso: a burocracia não é ruim ela nos ajuda em muita coisa que não conseguiríamos controlar, porém em excesso não dá. Ficar criando processos desnecessários e inúteis só para ter mais trabalho ou para criar um relatório sem sentido, é muita bobagem. Burocratize o mínimo possível e somente o necessário.

5° Tratamento desigual: as pessoas podem não apresentam os mesmos resultados e mesma produtividade, ou empenho, mas não deixam de ser seres humanos e iguais a você, não trate uma pessoa como sendo um ser inferior, ou como um animal. Todos são iguais!

6° Conflitos religiosos: bom eu sou evangélico, mas creio que tem pessoas que não sabem ponderar como se comportar no ambiente de trabalho e querem impor a sua vontade e ponto de vista a todos. Respeito à diversidade é bom, tudo tem hora e ligar certo, respeite quem não concorda com você.

7° Não saber o que tem que fazer: quando você não sabe ao certo o que tem que fazer então fica difícil saber se está fazendo certo e com isso tende a não se emprenhar. Defina funções, mas de a possibilidade para a pessoa fazer mais do que lhe é pedido.

Se você quiser ter colaboradores desmotivados e descomprometidos é só seguir esse passo a passo a risca. Só que se quiser ter pessoas comprometidas faça o contrário.  Abraços!!!

Leu? Gostou? Compartilhe!!!



Não esqueça de conferir nossos anunciantes, eles ajudam a manter nosso trabalho.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

O QUE É ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

A estratégia teve início nas relações militares diplomáticas, segundo Mintberg et al (2003, p. 30) “As estratégias militares-diplomáticas existem desde a pré-história. Na verdade, uma das funções dos primeiros historiadores e poetas era coletar o conhecimento acumulado dessas estratégias de vida ou morte […]”, e mais “[…] A medida que as sociedades cresciam e os conflitos se tornavam mais complexos, generais, estadistas e capitães estudavam, conceitos estratégicos essenciais até que surgisse um grupo coerente de princípios. […]” (MINTBERG et al, p. 30). A partir dessas reflexões foi possível se desenvolver o conceitos de estratégia para se aplicar nas mais diversas areas e campos de estudo, estudando ambientes e buscando saídas coerentes.
A estratégia é um dos temas mais relevantes e mais abordados nos últimos tempos, visto que estamos em uma era de transformação, segundo Kaplan e Norton (1997, p. 2) As empresas estão a caminho de uma transformação revolucionária. A competição da era industrial está se transformando na competição da era da informação […]”. Partindo dessa premissa podemos definir a necessidade da estratégia baseada em informação, pois “[…] nas últimas décadas do século XX tornou-se obsoleta muitas das premissas fundamentais da concorrência industrial. […]” (Kaplan e Norton, 1997, p. 3).

As organizações modernas utilizam-se de estratégias com o objetivo de obter vantagens competitivas, segundo Mintberg (2003, p. 34) “Estratégia competitiva significa ser diferente. Significa escolher deliberadamente um conjunto de atividades diferentes para entregar um mix único de valores. […]”, o fato de se ter uma estratégia empresarial, não significa necessariamente que ela será sustentável, pois “Escolher uma posição única, porém não é suficiente para garantir vantagem sustentável […]” (MINTBERG, 2003, p. 37), ser estratégico vai muito além de montar uma estratégia é necessário ser flexível e se adaptar a incerteza e saber as mudanças nunca terão fim, mas sim, um aumento de ritmo e de difusão.

Leu? Gostou? Compartilhe e não esqueça e conferir nossos anúncios, eles ajudam a financiar esse trabalho!
REFERÊNCIAS

KAPLAN, S. Robert. NORTON, P. David. A Estratégia em Ação: Balanced Scorecard. 34 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

MITZBERG, Henry. LAMPEL, Joseph. QUINN, James Brian. GHOSHAL, Sumantra. O Processo da Estratégia: Conceitos, contextos e casos selecionados. 4 ed. Porto Alegre: ARTMED, 2003.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

COMO NÃO PROMOVER UM COLABORADOR

Autor: Addae do Carmo
Dentro de uma empresa quando uma pessoa faz um bom trabalho e está em crescimento, subindo de cargo e progredindo dentro da organização, é comum vermos questionamentos sobre a legitimidade desse crescimento ou promoção. Bom, não quero me colocar de um lado nem de outro, mas quero falar da promoção de forma justa e por esse motivo vamos começar a falar sobre o que mais irrita as pessoas que participam desse processo de forma direta e indireta:


1° Não promova só por afinidade: é comum vermos pessoas que são promovidas não porque possuem uma qualidade específica, qualificação e muito menos resultados relevantes, porém possuem uma grande afinidade com as pessoas que tem poder para promover e por isso crescem por que são pessoas que indivíduos que todos gostam, a mesma coisa ocorre quando se promover porque se trata de um parente. O problema desse tipo de promoção é que gera desconforto e insatisfação na equipe, pois veem que resultados e trabalho não são importantes e por esse motivo então independente do que façam não vão conseguir crescer na organização.

2° Não se baseie em um resultado: Não se baseie em apenas em um resultado para promover uma pessoa, não é porque ela apresentou um resultado positivo uma vez que esse resultado irá se repetir, não basta ter um bom resultado é preciso ter constância nesses resultados.

3° Não seja parcial: ao se promover uma pessoa, tenha certeza que está sendo imparcial, que está usando os mesmos critérios para todas as pessoas e que outras pessoas tiveram a mesma chance de conseguir a vaga em questão.

4° Se a pessoa é boa em uma função não significa que será boa em outra: não confunda o desempenho de uma função com preparo para assumir outra função, o individuo pode ser muito bom em uma área, porém somente naquela área ou naquele cargo. As vezes uma má promoção pode gerar diversos problemas, como dificuldade de se obter resultados, insatisfação, desmotivação, dificuldade de voltar a pessoa para o cargo anterior, entre outras coisas. Muito cuidado ANTES de promover alguém.

5° Não promova a toda hora: se a promoção é muito fácil e frequente, o fato de ser promovido pode se torna algo banal, normalmente uma promoção é também uma ferramenta para influenciar a motivação do individuo, porém quando em excesso ela perde essa característica. Outro problema é que a pessoa pode apresentar um bom resultado em diversos cargo e uma hora ela vai assumir uma função  que poderá não obter resultado satisfatório e com toda a certeza será em algum momento oportuno desligada da empresa.


Bom, creio que todos irão concordar que nenhuma dessas ações é legal, mas então como promover?

O ideal é promover por qualidade de trabalho, relacionamento, constância afinidade, capacidade e por qualificação. Não é errado promover um parente ou uma pessoa que você gosta, mas assegure-se que a promoção será justa e que todos tiveram a mesma chance de concorrer e se tiver certeza que a pessoa tem qualificação ou características e disposição para aprender e se adaptar ao cargo.


Leu?Gostou? Compartilhe!

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

REPOSICIONAMENTO DAS PESSOAS NA ORGANIZAÇÃO

As organizações são formadas por pessoas e segundo Chiavenato (2004, p. 5) “[…] as organizações são formadas por pessoas e dependem delas para atingir seus objetivos e cumprir missões […]”, e mais, “[…] para as pessoas as organizações constituem o meio através do qual podem alcançar vários objetivos pessoais […]” (CHIAVENATO, 2004, p. 5). Ao analisarmos a necessidade de relacionamento entre organização e pessoas é possível se analisar a relevância e importância da gestão de pessoas para a organização.
No atual contexto as pessoas não são visto apenas como recursos, mas como parceiros, segundo Chiavenato (2004, p. 7):

[…] Nos tempos atuais as organizações estão ampliando sua visão e atuação estratégica. Todo o processo produtivo somente se realiza com a participação conjunta de diversos parceiros, cada qual contribuindo com algum recurso. […] (CHIAVENATO, 2004, p. 7).

As pessoas estão deixando de ser vistas pelas organizações apenas como mão de obra detentora da força de trabalho e passando a serem colaboradores ou até mesmo parceiros, onde só é possível a organização realizar alguma tarefa com a “participação destes parceiros”.
Essa visão não pode ser ignorada ou deixada de lado visto que as pessoas devem ser vista como parceiras da organização , segundo Chiavenato (2004, p. 8):

[…] As pessoas devem ser visualizadas como parceiras das organizações. Como tais, elas são fornecedoras de conhecimentos, habilidades, competências e, sobretudo, o mais importante aporte para as organizações […] (CHIAVENATO, 2004, p. 8).

As organizações que perceberam a necessidade de considerar as pessoas como parceiras usufruem de ganhos em diversos aspectos, as pessoas constituem para integrante do capital intelectual da organização e as organizações bem-sucedidas se deram conta disso e tratam seus colaboradores como parceiros de negócios e fornecedores de competências e não mais como meros empregados contratados (CHIAVENATO, 2004, p. 8).
Apesar de ser necessário o reposicionamento das pessoas nas organizações, as pessoas só se tornaram referencial de competitividade para as empresas do país no início dos anos 90. Embora muitas multinacionais realizassem experiências na gestão de pessoas na década de 80, pouca atenção foi dada à gestão nas filiais. (DUTRA, 1996, p. 150).
O reposicionamento das pessoas dentro do contexto organizacional demostra ser vantajoso e ao mesmo tempo necessário visto a constante e rápida mudança do perfil do trabalhador moderno. Essa postura  é facilmente observada em organizações que possuem uma cultura organizacional inovadora, Segundo Godoy (2009, p. 20):

[…] A cultura organizacional é outro fator intangível referenciado na literatura através de estudos empíricos, como influenciador nos processos de manutenção e promoção da inovação organizacional. Algumas pesquisas mostraram que organizações inovadoras possuem certas características culturais diferentes das demais. […]”(GODOY, 2009, P. 20).

A forma como a organização de comporta e se posiciona pode dizer exatamente como os colaboradores estão posicionados dentro da organização e qual valor eles têm. O aprender cotidianamente e a gestão do conhecimento resultante do processo de aprendizagem são associados, mas frequentemente, a culturas organizacionais facilitadoras da inovação que ao reposicionarem as pessoas na organização possibilitam um melhor aproveitamento de suas capacidades cognitivas (GODOY 2009, p. 25).
Segundo Chiavenato (2004, p. 70):

Não basta ter objetivos rotineiros de aperfeiçoamento, isso é o mínimo. É preciso emplacar objetivos inovadores. Assim, a definição dos objetivos globais da organização conduz à formulação da estratégia organizacional. (Chiavenato, 2004, p. 70).


A estratégia organizacional inovadora só funciona quando possui pessoas que apresentam engajamento, que estão comprometidas com a organização. O mundo continua mudando e as mudanças são cada vez mais velozes e rápidas (CHIAVENATO, 2004, p.37). Portanto o contexto organizacional em que as pessoas são o principal ativo estratégico é possível que haja resultados superiores ao das organizações tradicionais, em cenários econômicos e sociais semelhantes.



REFERÊNCIAS

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas: e o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 2. Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.


DUTRA, Joel Souza. Administração de carreiras: uma proposta para repensar a gestão de pessoas. 1ed. São Paulo: Atlas, 1996.


GODOY, Renata Semensato Pereira de. Relações entre cultura organizacional e processos de inovação em empresas de base tecnológica. 2009. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2009. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18140/tde-20102009-164640/>. Acesso em: 2014-11-04.